Livros e Resenhas-Ajuste as velas!

Numa competição de iatismo, os barcos são movidos exclusivamente por propulsão à vela, onde somente a força do vento é o meio de deslocamento. As embarcações poderão ter mais de um tripulante como na regata ou na corrida.

Em ambos os casos, o vento será determinante e decisório para o avanço da embarcação. Ficar á deriva é algo que não se espera e tampouco se deseja por quem no barco. E o leme, ora voltado para bombordo ou para o estibordo, conduzirá automaticamente para esquerda ou para a direita.

É um esporte bem desafiador, uma vez que em alto mar depende-se de fatores externos como o vento, o mar e, sobretudo da força e determinação daquele que segura e conduz a embarcação.

De autoria desconhecida, a frase “Há os que se queixam do vento. Os que esperam que ele mude. E os que procuram ajustar as velas”, soaria muito bem para nossa breve reflexão no que concerne ao mar da nossa vida.

Nem sempre estaremos num mar calmo. Mas, desde quando mar calmo fez bom marinheiro?

E aqui reflito no que tange ao vento. Parece que ele é quem conduz a embarcação e a nossa mão a nau, como nas grandes embarcações que no passado conduziam até mesmo os misteriosos viajantes sob o risco dos ataques dos piratas.

E se não houver vento, o que faremos?

Volto-me a outra frase desconhecida e propulsora a nós: “se não houver vento, reme!”.

Sim! Assim deve ser na nossa vida, no dia a dia! Nem sempre teremos situações favoráveis à nossa vontade e realidade. Mas, nem por isso seremos algozes de nós mesmos, com todos os dramas épicos e imaginários, até mesmo futuristas e sofríveis!

Não! Uma vez mais repito: ajuste as velas!

Sim! Tome a situação de sua vida e de seu interno ser onde as maiores tempestades de grandes ondas ocorrem dia após dia e lhe sufocam, a ponto de quase o afogar ainda que saiba nadar ou ao menos boiar.

Não espere a condição favorável do vento ao redor para saber de onde veio, onde está e sobretudo para onde se quer chegar.

Lute contra a maré se necessário for, mas reme! Olhe com olhos além, sem medo do mar desconhecido à frente e de suas grandes ondas. A água salgada do mar acalma, a brisa que toca na face refresca e a sensação de direção e controle da sua vida é a paz em meio à tempestade.

E por falar em senso de direção da sua vida, finalizo com um alento: temos em nossa embarcação um Capitão que pode nos ajudar na direção e rumo a ser tomado. O próprio Deus promete estar em todas as situações ao nosso lado, ainda que ocorram tempestades, tenhamos tantos dissabores e aparente naufrágio.

Não somos náufragos se dividirmos o timão do leme com aquele que sabe os caminhos do mar da vida. Ele conhece cada lugar e momento e sabe também das nossas lutas. Basta confiar e teremos a paz para continuar na embarcação, remando, ajustando as velas e não reclamando do vento. Todas as coisas cooperam para nossa vida e aprendizado, e as oportunidades devemos criá-las sempre!

Reme, ajuste as velas e olhe além-mar.

Livros e Resenhas

 Curta nossa página XD

Estamos no Google+

Comentários

Comentários