Blog Livros e resenhas- Quando eu Era Joe / Keren Davi

Imagine o que é perder, em uma única noite, sua casa, seus amigos. Como é possível viver mentindo sobre todas as coisas? Sua escola e até mesmo o seu nome. Aos 14 anos, Ty presencia um crime bárbaro num parque de Londres. A partir desse momento, tudo muda para ele – a polícia o inclui no programa de proteção à testemunha, e Ty é obrigado a assumir uma vida diferente, em outra cidade. O menino ingênuo, tímido, que costumava ser a sombra do amigo Arron, matricula-se na nova escola como Joe…

 

O livro conta a história de Ty, um garoto tímido que tem poucos amigos. Ao testemunha um assassinato, ele passa a integrar o sistema de proteção a testemunhas da Inglaterra e aí é que surge o Joe na parada – quero dizer o Ty passa a ser o Joe, pois ele e sua mãe trocam de nomes e mudam de cidade. Só que Ty, usando o nome de Joe na nova escola se transforma em um garoto popular, esportista de primeira linha e se apaixona, assim como em qualquer romance.

É então que o livro começa a ficar interessante, pois Ty vai nos mostrando seus segredos – acredito que alguns outros só serão revelados no segundo livro. Lendo página por página, você percebe a diferença entre ser Ty, o menino tímido, amável e amigável e Joe, o garoto popular sem papas na língua e metido.

Os personagens secundários são muito legais!  Um belo exemplo é Ellie, uma para-atleta olímpica que dá aulas de educação física. Ela é uma personagem intensa, tão persistente que, às vezes, dá até raiva pelo fato dela nunca desistir das coisas, mas, no fundo, isto é o que a mantém viva.

O livro toca em temas como pessoas com cadeiras de rodas e a automutilação de uma forma forte, porém sensível. Mostra também como é ser um adolescente, como é a mente conturbada de alguém que vê algo que jamais esquecerá e como é a experiência de perder amigos inesquecíveis de maneiras tão intensas.

O suspense do livro é sutil. O desenrolar dos fatos é contado de uma forma fluente e o melhor, como sempre, fica para o final, pois a autora deixa dúvida nos leitores se o Ty/Joe é tão santo assim ou não.

 

“Mas me pergunto se em um tribunal de verdade é assim tão fácil manipular os fatos. Talvez não exista uma verdade única, apenas muitas maneiras diferentes de se explicar a mesma coisa”. (p.159)

Blog Livros e Resenhas Quando_eu_era_Joe

 

 

“O mundo já tem gente má o bastante que pode feri-la sem que você machuque a si mesma”.

 

“Tem muita coisa que ele não está me dizendo. Mas será que ele tem ideia de quanto eu não estou dizendo”.

 

O livro é bom, mas poderia ter uma história maior para nos contar, contudo fez por merecer estar na lista de mais vendidos do The New York Times.

 

Bom, minha nota: de 0 a 10 eu dou 9.

Resenha escrita por: Marcos Vinicius.

Curta nossa página XD

Estamos no Google+

Comentários

Comentários