Blog Livros e resenhas- Passe adiante, tendo recebido ou não.

Bondade é uma virtude cada vez mais rara nas relações e nos corações. É uma qualidade de quem tem alma nobre e generosa e é naturalmente inclinado a fazer o bem. Sinônimo de benevolência, benignidade, magnanimidade.

 

Na verdade, bom mesmo ninguém consegue ser se não houver o estímulo vertical e horizontal para tal prática. Verticalmente do Alto, dAquele que nos criou e horizontalmente pelos estímulos externos, mas sobretudo internos.

E ao recebermos atos de bondade, far-nos-ia muito bem, passar adiante. Mas se não recebermos… Ainda assim, passemos adiante. Só que somente poderemos compartilhar aquilo que temos no nosso íntimo.

Outrora assim, seria sugestivo que atos de bondade fossem cultivamos e assim, o estímulo para a prática não se concentrasse no recebimento do outro a nós?

O mundo realmente seria um lugar mais tranquilo e feliz se essa simples filosofia fosse praticada: bondade recebida deve ser repassada e se não recebida, ainda assim deve ser praticada e cultivada.

O poeta Henry Burton escreveu assim: “Foi-lhe manifestada uma bondade? Passe-a adiante; Ela não foi oferecida só para você, passe-a adiante; Permita que ela viaje pelo tempo, que ela enxugue as lágrimas de outras pessoas”.

Complemento e reitero: ainda que não receba, pratique atos de bondade.

Sejamos bondosos nas palavras, uma vez que a cortesia verbal em nossa sociedade está cada vez mais escassa. Muitos comentários desnecessários nas relações sociais. O que não edifica, de fato, seria melhor ficar em silêncio na alma. O salmista diz que “as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam agradáveis a Ti, Senhor” Salmos 19:14. Ao fazermos ao nosso semelhante assim, o fazemos como para Deus também.

Sejamos bondosos em nossos atos, pois um pequeno ato de bondade pode aliviar um pesado fardo. William Shakespeare disse “Quão longe uma pequena vela difunde seus raios de luz! Assim resplandece um ato de bondade em um mundo perverso”. Pequenos gestos de bondade podem aliviar o fardo alheio e o nosso também, pois somos beneficiados ao assistirmos ao nosso semelhante.

Sejamos bondosos com os estranhos. É natural sermos bondosos com os que conhecemos, os nossos familiares e amigos bem próximos. Mas por que não proceder com os que não fazem parte de nosso círculo? A verdadeira prova de bondade acontece quando a estendemos a pessoas estranhas num mundo onde cada vez mais fazemos acepção de pessoas ou nos isolamos uns dos outros, até mesmo, por incrível que pareça dos conhecidos. Cada vez mais, nos mantemos em redomas e dificultamos as relações saudáveis.

Sejamos bondosos para alguém em necessidade. Sim! Quantas pessoas passam dia a dia por necessidades simples e complexas que nós poderemos auxiliar. Às vezes somos muito ingratos e murmuramos ante qualquer coisa, mas se olharmos nossos armários e guarda roupas ou dispensa, veremos que há algo que poderá ser partilhado àquele que está por necessitado. A admoestação encontrada biblicamente é “destaquem-se também neste privilégio de contribuir” (II Coríntios 8:7). Ou seja, ser bondoso é um privilégio!

E por fim, sejamos bondosos para com um inimigo. E essa é a tarefa mais árdua que como ser humano teremos que executar. Não somente pelo outro em si, que nos feriu, nos magoou, nos humilhou ou rejeitou, mas, sobretudo, por nós mesmos. O perdão através de atos de bondade é um sacrifício necessário para nós que ansiamos ser melhores do que ontem neste tempo.

Um tempo de guerra interna e externa. Um tempo de irasciva atitude que destrói o indivíduo que também é falho e digno de segunda chance. Somos algozes alheios e de nós mesmos ao procedermos sem a bondade que é necessária. Bondade a nós e ao semelhante, ainda que seja este, um inimigo intitulado.

Desconheço a autoria, mas poderíamos pensar assim: “Espero passar pela vida uma única vez. Portanto, se houver alguma bondade que eu possa demonstrar, ou alguma boa ação que eu possa praticar a qualquer dos meus semelhantes, quero fazê-lo agora, não o adiarei nem o negligenciarei, pois não passarei por esse caminho outra vez”.

Recebendo ou não, passe adiante! Pratique! A bondade provém do amor dAquele que nos criou em nossos corações e valerá a pena ser dia a dia praticada. O mundo precisa e nós também.

Texto escrito por: Fabi Colimoide

Blog Livros e Resenhas
Curta nossa página XD

Estamos no Google+

Comentários

Comentários