Livros e Resenhas-Pais e Filhos

Quantas vezes não houvi frases como essa:
– Ter um filho é loucura.
– Ainda sou muito jovem para ser pai.
– Filho da muito gasto.
Todas são verdadeiras e pontos de vista válidos, veja bem, cada um vive a vida que deseja, uma vez li que nosso presente é resultado das escolhas que fizemos no passado, e cada um tem o direito de escolher qual o caminho deve trilhar.
Não condeno as pessoas que defendem essa bandeira, pois na verdade, é impossível mensurar o que estamos perdendo sem ao menos termos experimentado essa possibilidade uma vez.
E eu digo por experiencia própria, ninguém deveria vive uma vida sem provar da mágica que é poder gerar um ser, uma vida. Quando eles nascem são como uma charda indecifrável, como serão? Qual será sua personalidade? Como vão interagir com esse mundo louco em que vivemos?
Ao mesmo tempo crescem sentimentos de dúvida dentro de nós mesmo, como farei para guiar essa pequena criaturinha que até os sete anos é apenas uma esponja sentimental, sugando tudo que está ao seu redor, transformando barro em vazo, moldando sua personalidade aos poucos.
Até agora, acho que quem estiver lendo esse texto, e sempre achou ter um filho loucura, deve estar ainda mais convicto de que esse é o caminho!
Mas a partir dos primeiros anos meus amigos, é que a verdadeira mágica acontece, você se pergunta, como é possível amar alguém dessa maneira? Alguém que nem sequer anda, não fala ou exterioriza seus pensamentos? Como posso sofrer tanto com a vaga ideia de um dia perder esse tesouro tão precioso que me foi “emprestado” por Deus?
É nesse momento que nos tornamos automaticamente pessoas melhores, e só ai é que cai a ficha de que no dia do nascimento desse pequeno ser humano, também nasceu um pai, uma mãe.
Nos tornamos melhores pois agora somos nós que devemos ensinar, corrigir, e vigiamos nossos passos, nossas escolhas, nossas atitudes.
Amadurecemos, pois estamos sendo observados a todo momento, cada escolha, cada opinião, cada atitude não só nos pertencem ais, nos tornamos um espelho, um modelo, algo a ser copiado, a ser seguido.
Somos os super heróis da vida real, toda criança admira e quer ser “fantástico” assim como seu pai, como sua mãe, aquele que não se cansa, que sabe as respostas para todas as perguntas… Bom pelo menos até eles descobrirem assim como Renato Russo dizia, “eles são crianças como você”… Mas bem, isso é história para outro dia.
Denis Ibanez

Curta nossa página XD

Estamos no Google+

Comentários

Comentários