Livros e Resenhas-A dama

A dama é uma espécie em extinção. Difícil encontrá-la, e rara a descoberta do cavalheiro para tê-la por perto e de forma constante. Assim ela vai conquistando seu espaço. Na simplicidade, no seu jeito meigo e firme de ser. Algumas com temperamento forte e aparentemente indomável, mas por dentro não passam de meninas nos seus vestidinhos rosados, com laçarote no cabelo e um olhar sapeca.
Talvez seja assim que ela conquista. No fundo, eles, os cavalheiros, querem tê-la assim. Ainda que quando em condição de cônjuges, dentro de quatro paredes, ela seja a mais voraz e inusitada mulher de grandes momentos e êxtase compartilhado e proporcionado ao seu amado, ela ainda conservará sua meninice que remete a senso de atitude do cavalheiro presente.
Sim, ela é moderada, sonhadora, sensível, com suas ambições no íntimo, tendo, contudo, sua nobreza da realeza de caráter e princípios inegociáveis. Ela é valiosa, sabe se portar. Busca por amplitude do conhecimento e o faz, na grande parte, nos livros. Aliás, ela busca na leitura solidez nas suas vivências que serão sempre as maiores escolas que ela cursará. E sabe também se cuidar.
E o interessante é que essa sua jornada de vida, às vezes frágil, às vezes firme e às vezes com dores, ela sempre buscará enxergar com a resiliência necessária, e assim amadurecerá mais e mais. Nunca usará outros para subir na vida, pois crê no espaço a ela concedido e conquistado, sem disputas. Com a lealdade de uma verdadeira dama.
Algumas se portam como damas de ferro, intransponíveis, com tez enrijecida pelas pressões dos outros, e pelas suas internas, pelo perfeccionismo que engana como sendo benéfico. Estas, com o tempo, se permitem enxergar, a duras penas, que a flexibilidade é o elixir da alma. E em se tratando da alma feminina, grandes doses são compêndios de saúde.
Seu senso de direção traduz sua objetividade e ela sabe conduzir o cavalheiro, ainda que ele julgue estar no controle. Para ele será bom sentir-se assim e ela, sabedora disso, não fica medindo forças com aquele que é seu parceiro. Ela sabe bem qual seu lugar e onde deve permanecer, ainda que tenha tantas titulações e renomes sociais. Reconhece-se auxiliadora idônea.
Ela sabe que suas forças são renovadas quando na silente contemplação de si mesma e da natureza ao redor. Ela consegue extrair grandes ensinos ao redor e olhar muito além do que parcos olhos que intentam desviar seu foco para as murmurações. Em seu dicionário, recomeço e equilíbrio, são as duas palavras prioritárias para sua caminhada.
E ela sabe contemplar as flores, onde considera que o perfume delas é como o amor para sua vida. Inebria, contagia e dá longevidade aos dias, ainda que árduos e tristes. Ela sabe ser uma dama. Ela tem na sua alma de mulher o brio de querer fazer a diferença sem jamais ferir ou violar os valores íntimos e necessários.
Ela é a dama que anseia pelo seu cavalheiro. Ela espera que ele a encontre, ainda que a busca seja árdua, mas ela lá estará à sua espera. Sentada, paciente, objetivamente e de modo equilibrado, onde o que é para ser seu vem no tempo certo, sem guerras ou aflições, tampouco carências da insegurança, pois ela seguramente vive na realeza de uma verdadeira dama para o seu amado. Isto para ela é sinônimo de amor próprio.
Livros e Resenhas
Curta nossa página XD

Estamos no Google+

Comentários

Comentários