Blog Livros e resenhas- Presente

Procurei algumas definições para essa palavra: presente. Além da ligação ao verbo em si, ao tempo formal, encontrei palavras como brinde, dádiva, graça, doação, mimo, oferta. Enfim, várias e todas me remetem ao que quero refletir aqui.

Como filha única, desde juvenil tive a separação conjugal presente e meus encontros paternais eram esporádicos. Hoje, adulta, sempre ao visitá-lo, quis retribuir tanto amor de pai com alguns presentes, mimos e doações. Meu pai, nunca se preocupou com isso, na verdade, o que ele sempre quis era que eu estivesse presente.

Para ele, esse é o essencial.

Contraditória maneira de visualizar o que para um pai é relevante. Eu, como filha, confesso que de início ficava frustrada por pensar em não conseguir satisfazê-lo. Ledo engano…

Pois o relevante era o estar ali, receber o abraço, o deixar preparar meu prato de um almoço de arroz com tomatinho e um feijão bem quentinho. Ou também deixá-lo lavar meu prato ou arrumar minha cama, tirar meus óculos quando cochilava na frente de uma sessão do programa do Chaves ou Chapolim.

E por fim, deixá-lo ser apenas pai ao aconselhar e usar suas marcas cãs experientes para me dizer como escolher um companheiro ou trabalho… Descobri que de verdade, ele era o presente que eu queria dá-lo. E ao assim enxergar, percebi também que o benefício era recíproco.

Ele foi uma oferta suave de Deus a mim aqui na terra. Foi uma dádiva e um brinde cedido por Deus. Ele foi um mimo para que eu sentisse as mãos fortes a me conduzir.

Ele foi um prefácio do amor de Deus a Seus filhos.

Sim, quero falar desse Pai. Um Pai que deu Uma Oferta, Uma Dádiva, Um Brinde, Uma Doação… Seu Único Filho para morrer pela humanidade. Uma humanidade por igual, onde não há melhores, tampouco donos da verdade absoluta.

E reconhecer isso, nos faz enxergar como Deus é como Pai. Ele é um presente a nós, em especial, os pais. Pais que carregam no colo, que organizam a merendinha, que assistem desenhos lúdicos com seus filhos, que tiram selfies de cada riso ou explicação infantil.

Pais que fazem lição de casa sentado no carpete com os pés nus e a alma cheia de amor ante o saber dos filhos. Pais que dão o exemplo, que disciplinam e na firmeza dos gestos, desabam com coração…verdadeiramente paizão…que prepara para a vida, para os percalços do vasto mundo.

Esse Pai celeste hoje anseia também ser Seu Pai e te guiar pelos caminhos sábios que a paternidade enlaça. Caminhos do dever, da honra, da exatidão, da cumplicidade, mas sobretudo, caminhos do amor.

Precisamos aproveitar as oportunidades de valorização de nossos pais. Homens que amam ao seu modo, abnegados ante as responsabilidades financeiras e materiais que seus filhos necessitam.

Não muitas vezes as ações destes pais ficam no anonimato, pois as mães se destacam dentro do que a sociedade preconiza. Mas o papel de tais pais, ainda que silentes, são inesquecíveis. Marcam pelo exemplo, pela prática e pelas tintas de amor e até repreensão em nossos corações.

Pais de muitos filhos, de um filho só, de filhos do coração ou apenas pais de consideração. Pai é o que cria e que educa, mas, sobretudo que ama… Absurdamente!

E assim sempre serão um presente inesquecível aos seus filhos.

Texto escrito por: Fabiana Colimoide.

Blog Livros e Resenhas

Curta nossa página XD

Estamos no Google+

Comentários

Comentários