Livros e Resenhas-O Andarilho das Sombras / Eduardo Kasse

Sou uma apaixonada por histórias que envolvem imortais! A culpa recai diretamente sobre a escritora Anne Rice e minha adolescência lendo suas Crônicas Vampirescas (resenha de Entrevista com o Vampiro aqui).
        Nesses anos todos acompanhei diversas sagas sobre seres sobrenaturais nos mais variados formatos – livros, filmes, séries de tv. Então, imaginem o quanto meus olhos brilharam quando encontrei no catálogo da Editora Draco o primeiro volume da série Tempos de Sangue do escritor Eduardo Kasse (O Andarilho das Sombras, 2012, 384 p.).
O universo sobrenatural engloba infinitas possibilidades, o que tornava o início da leitura do romance “O Andarilho das Sombras” uma incógnita. Entretanto, a escrita habilidosa do autor envolve o leitor desde o princípio, elevando a expectativa sobre a trama.
        O enredo acompanha em primeira pessoa Harold Stonecross em dois momentos distintos de sua vida. Cada capítulo aborda a juventude mortal do protagonista em paralelo com sua existência imortal, enquanto retrata o cotidiano da Europa medieval.
        A Inglaterra, Irlanda e França dos conturbados séculos XI e XII, com seus questionáveis padrões de higiene, guerras, comércio e ascensão do poder da Igreja, são o cenário para Harold, que desde a infância se vê no papel de andarilho.
        As andanças do protagonista me remeteram a uma palavra no idioma inglês que não tem uma tradução simples: “Wanderlust”, que seria um desejo intenso de viajar, caminhar, conhecer lugares e situações novas e desconhecidas. Essa mesma busca tanto do jovem, como do imortal Harold, ganha significado com as conexões feitas no trajeto.
        Esses personagens secundários que permeiam o romance são vivamente construídos e enriquecem o crescimento do protagonista. O autor alcança a proeza de conferir uma personalidade marcante até mesmo aos animais do enredo como o cão Crucifixo e o fiel cavalo Fogo-Negro. Entre amizades verdadeiras, famílias formadas por lealdade e não por laços sanguíneos e tórridos romances, o enredo mescla de maneira equilibrada drama, terror, fantasia, suspense e elementos cômicos.
        Eduardo Kasse ainda demonstra seu talento como poeta nas letras das canções que pertinentemente surgem no decorrer do livro, conferindo ora uma atmosfera leve das tavernas medievais e ora uma tristeza vinda do fundo da alma, incorporando uma profundidade de sentimentos nos personagens que só me lembro de ter sentido com as músicas escritas por Tolkien em “O Senhor dos Anéis” e “O Hobbit”.
Livros e Resenhas eduardo kasse
Uma outra grande sacada do autor é evitar o uso do termo ‘vampiro’ durante o decorrer do livro, já que a expressão só se popularizou no século XIX. Além do acerto histórico, esse fato permite que, apesar do leitor identificar a presença das características do vampirismo – sede de sangue, imortalidade, aversão a luz solar – Harold Stonecross se aproxime mais das origens dessas lendas, como o Drácula de Bram Stoker, em que a narrativa também está intrinsecamente ligada tanto a mitologia paga, quanto a hostilidade contra a Igreja.
        É em sua provocação mordaz a Igreja da época – com seus poderosos bispos sentados sobre potes de ouro no melhor estilo Smaug (dragão criado por J. R. R. Tolkien em “O Hobbit”), enquanto o povo pobre não tem escolha, a não ser seguir seus preceitos ou serem perseguidos – que o protagonista imortal de “O Andarilho das Sombras” tem seus momentos mais inspirados.
        O sedutor sobrenatural Harold com suas reflexões sagazes, visão cínica do mundo e sem um pingo de remorso ao ceifar vidas para se satisfazer ao mesmo tempo que sofre intensamente as suas perdas, contrasta com o garoto vivaz que foi na juventude. Esses dois pontos díspares convergem, assim como um quebra cabeça intrincado que, ao encaixar peça por peça – ou neste caso capítulo por capítulo – culmina na revelação de uma imagem completa e complexa que é a história do protagonista.
        Harold Stonecross figura entre os grandes personagens da literatura, não apenas nacional, mas mundial e certamente agradará em cheio aos fãs da rainha do terror, Anne Rice, assim como eu me deletei.
        Da mesma maneira que cada livro de Anne Rice, “O Andarilho das Sombras” possui uma trama completa em si, todavia, tendo um universo tão ricamente construído por Eduardo Kasse, eu já estou ansiosa para ler os outros livros da série Tempos de Sangue.
        Os próximos volumes já estão disponíveis pela editora Draco: os romances “Deuses Esquecidos”, “Guerras Eternas” e “O Despertar da Fúria”, além dos contos “A menina que se alimentava de dor”, “O último sol poente”, “Ao som de uma canção de amor você sangrava” e “Sobre guerras e deuses”.

Curta nossa página XD

Estamos no Google+

Parceria:

Gatita & Cia.

Curta nossa página XD
Estamos no Google+

Comentários

Comentários